Assine nossa newsletter

Receba em primeira mão nossas postagens! :)

Como harmonizar vinhos e massas

Uma bela massa e um bom vinho. Uma combinação clássica e atemporal, que cai muito bem no inverno. Aos italianos, não há regra para esse tipo de harmonização, mas a experiência pode ser muito mais prazerosa se levarmos em consideração o molho que acompanha o macarrão para que a combinação seja perfeita.

Para não errar no ‘match’, a Villa Lucchese, rosticceria paulistana especializada em massas artesanais, compartilhou algumas dicas e sugestões que prometem o casamento perfeito entre massa e vinho.

shutterstock_391495360

O mais tradicional dos molhos, o de tomate (clássico ou Napolitana), pede vinhos leves com acidez mais elevada, como Chianti e Merlot, mas os rosés também são bem-vindos. Já sua variação com carne, o Bolognesa, combina com tintos mais encorpados, como o Cabernet Sauvignon.

Molhos à base de queijo casam com brancos mais encorpados, como o Chardonnay, ou tintos delicados, como Beauholais ePinot Noir. Enquanto os que levam frutos do mar combinam com brancos e rosés em geral.

Para o Carbonara, que leva bacon e ovos na receita, os brancos mais leves, como Chardonnay e Pinot Grigio são as melhores pedidas. E para o Béchamel, que é branco e pode ser incrementado com carnes, embutidos e vegetais, o ideal é o Sauvignon Blanc.

Os molhos picantes pedem vinhos mais encorpados e de maior teor alcoólico, como Syrah e aqueles à base de cogumelos pedem combinação mais delicada para não ofuscar o sabor, como Carmenére e Pinot Noir.

Receitas mais específicas também têm harmonizações especiais. O pesto, que é um molho fresco, não cozido, feito com manjericão, alho, parmesão, pinhão e azeite, vai bem com vinho branco de corpo médio, mas com muito caráter, que realmente realça seu sabor, como o Sauvignon Blanc ou Torrontés.

Já o Amatriciana, casa com o Carmenére, que com sua estrutura e exuberantes aromas, harmoniza perfeitamente com as notas de bacon, queijo de cabra e tomate. Enquanto o Puttanesca, que leva tomates, azeite de oliva, alho, azeitonas negras, alcaparras e orégano pede um vinho que contraponha a acidez do prato, como o Syrah.

Arrabiata, feito com tomates, alho, azeite de oliva e pimentas vermelhas picantes harmoniza com o Malbec, que intensifica seu sabor, ou Moscato, que suaviza um pouco o temperamento da receita.

Por último, mas não menos apetitoso, o Pomodoro Secchi (tomates secos) pede um vinho profundo como o Cabernet Sauvignon, que é complexo, mas também frutado e elegante, propondo ótima harmonização ao peso do prato.

E aí, o que acharam dessas dicas?

Siga no Instagram