Assine nossa newsletter

Receba em primeira mão nossas postagens! :)

Canil Paraíso dos Filhotes (e o nosso inferno)

Primeiramente pedimos desculpa pela total fuga do tema do blog, mas essa é uma das razões de não termos postado aqui com tanta frequência recentemente. Segundamente, sim, compramos um cachorro. Sou a favor da adoção, e inclusive já temos um cachorro adotado (o Bilbo) e queríamos uma companhia pra ele, e acabamos optando pela raça Schnauzer porque as características comportamentais e tamanho eram exatamente o que buscávamos, portanto, caso queira comentar “viu, devia ter adotado” já pode sair do post.

Era mais ou menos 15 de outubro, quando resolvemos de fato que queríamos um Schnauzer. Buscamos canis na internet e entramos em contato com alguns, mas somente um nos retornou. O Canil Paraíso dos Filhotes. Pelo site tudo parecia perfeito, fotos dos ambientes bem cuidados, entregavam o cachorro em outras cidades (somos da Capital de São Paulo e eles ficam em São Roque), e fora isso o atendimento foi muito bom. Escolhemos o único pretinho da ninhada, e esperamos ansiosamente pela chegada dele, que aconteceu no dia 18.

Frodo. Esse foi o nome que demos para ele. Ele chegou quietinho, mas logo se soltou, e todos os dias nossa rotina foi a mesma. Passávamos o dia em casa, com ele cochilando no nosso pé e de noite ele ligava no 220v e brincava muito. O Frodo era um cãozinho especial, desses que implorava de madrugada para subir na cama, e logo se ajeitava entre nossos travesseiros. Ele era tão incrível, que mesmo com menos de 2 meses de vida, aprendeu a usar o tapetinho higiênico no 2º dia em casa.

E a vida tava maravilhosa, até que completou 7 dias dele por aqui e aconteceu: o primeiro vômito. Não nos desesperamos, afinal, podia ser um caso isolado, mas durante o decorrer do dia ele foi passando cada vez mais mal, e com diarréias. Tudo começou por volta das 18h do dia 25, e quando deu 00h corremos pro veterinário, desesperados e aos prantos, e lá foi onde constataram desidratação e deram soro na veia e realizaram exame de sangue, mas como estava bem caidinho acharam melhor ele passar a noite em observação. Na madrugada seguinte o buscamos, ele chegou em casa bem feliz, comendo e brincando, mas no dia seguinte o estado dele se agravou, e foi quando busquei ajuda do canil, era dia 27, e me passaram um número de telefone, perguntei se era da veterinária e me disseram que não, que era de uma mulher que “trabalha com cachorro a mais de 25 anos e vai poder te ajudar”, só depois descobri que era a proprietária do canil, ou seja, omitiram informação e me prejudicaram. No mesmo dia eu disse que não tinha carro para levá-lo e tudo que fizeram foi me ignorar. E o que se faz nesses casos? Obviamente corremos pro veterinário novamente, onde o internaram, e realizaram exame de fezes que constatou ISOSPORA, um parasita adquirido em canis sujos.

Os gastos nesse momento já batiam a casa dos R$2000, e não teríamos como deixá-lo lá por mais dias, foi quando liguei pro canil e me criticaram por não ter avisado antes (oi?) e falaram que o buscariam naquela mesma noite (28) para ser cuidado pelo veterinário deles. Nádia, a dona do canil, me jurou que ele ficaria internado, mas na manhã seguinte (29) liguei para ela e o Frodo estava em sua casa, sem soro, e sem medicamentos (que ela disse que a Petz havia intoxicado ele com tantos remédios). No dia 30, às 12h30 mandei uma mensagem perguntando como o nosso Frodo estava, e as 13h ela me respondeu que ele morreu de madrugada. De ma-dru-ga-da. E fomos avisados somente porque indaguei o estado dele. Logo após isso se sucedeu o show de absurdos: Fernando, filho da tal Nádia, me bloqueou nos dois WhatsApp da empresa, e a senhora proprietária do canil desligou o celular (que ainda se encontra indisponível mais de 24h após o último contato).

Hoje, 31 de outubro, tentei contato em todos os números, e apenas consegui falar no celular do sr. Fernando, que logo já começou com rispidez, dizendo que eles cuidam de mais de 400 cachorros (onde isso é algo bom, sr? em que estado esses cachorros vivem?), falou que o contrato de vida do filhote não valia mais porque o levamos em outro veterinário, e que eu processasse o veterinário porque ele que matou o Frodo (tentando entender como o mataram se ele estava aos cuidados da Nádia na hora da morte) e por fim, disse que se quiséssemos era só processá-los, mas que eles ganhariam (confiante demais achando que não tenho nenhuma advogada me orientando), mas, obviamente, não devem acreditar que seguiremos com isso em frente. Bom, nosso filhotinho saiu da Petz com carta de encaminhamento onde dizia em alto e bom som “apresentou melhora porém ainda prostrado”. Ele estava melhorando, e piorou nas mãos do Canil Paraíso dos Filhotes, onde, não duvido, não deram o suporte necessário para manter nosso Frodo com vida, já que para eles são descartáveis, mas, para nós, significam muito.

Nosso sentimento é de indignação, principalmente após descobrirmos diversas outras reclamações de pessoas cheias de amor para dar, que compram filhotes esperando uma vida cheia de alegria, e recebem filhotes doentes, com má formação ou com problemas genéticos, e gastam uma grana tentando salvar a vida deles, para depois serem destratados pelo Canil, que não quer cumprir o contrato e realizar reembolsos. São mercenários que apenas se importam com dinheiro, e me preocupa o estado que os animais vivem por lá. Esse post é um alerta a todos sobre as práticas desse lugar que, certamente, de paraíso não tem nada.

Siga no Instagram